Bernice Corta o Cabelo

Tudo que podemos fazer pelas pessoas é alimentá-las, diverti-las ou chocá-las. Essa frase, atribuída a Oscar Wilde, dá a tônica desta história de F. Scott Fitzgerald, de 1920, mas ainda atual, pertinente e necessária. Pela trama de Bernice e sua prima Marjorie em uma disputa por popularidade, pertencimento social, status e atenção de garotos, o leitor acompanha as peculiaridades e sutilezas do universo adolescente em seu máximo estado de tensão, com suas descobertas e frustrações.
Traduzido por Juliana Cunha e aqui apresentado em versão integral, com ilustrações de Mika Takahashi, Bernice Corta o Cabelo nos transporta a um momento da história marcado pelo jazz, pelos bailes e pelo dinheiro. O conto escancara o jogo das relações sociais de um grupo de adolescentes ricos: o ambiente em que cada um se encontra, onde são vistos, notados, e avaliados. Roupas, festas, cortes de cabelo e, enfim, palavras.
Bernice Corta o Cabelo é o livro nº 17 da Lote 42.
Especificações Técnicas

Bernice Corta o Cabelo autor F. Scott Fitzgerald tradução Juliana Cunha ISBN 978-85-66740-19-6 idioma português dimensão 10,5 x 29,7 cm edição 1ª, 2016 número de páginas 96 edição geral João Varella, Cecilia Arbolave e Thiago Blumenthal projeto gráfico Daniel Justi ilustrações Mika Takahashi 

Bernice Corta o Cabelo autor F. Scott Fitzgerald tradução Juliana Cunha ISBN 978-85-66740-19-6 idioma português dimensão 10,5 x 29,7 cm edição 1ª, 2016 número de páginas 96 edição geral João Varella, Cecilia Arbolave e Thiago Blumenthal projeto gráfico Daniel Justi ilustrações Mika Takahashi 

“O leitor terá a oportunidade de pintar cenas maravilhosas do cotidiano, como situações com ônibus lotado, prestações atrasadas, relações familiares, entre outras. O que não pode é seguir o traço fino da arte, há de estabelecer uma perfeita harmonia com o que é proposto (fica a dica!).” LiteraturaBR

“Alexandra Moraes satiriza moda de obras terapêuticas com sua tira O Pintinho, com traço feito no Paint. Nada de mandalas, flores, passarinhos, florestas encantadas. No livro, as atividades dizem respeito às desventuras da classe média brasileira.” O Grito!