A Mão do Pintor

Teodosio Luque, tataravô da autora María Luque, cursava o último ano de medicina quando foi enviado para a Guerra do Paraguai. Na Batalha de Curupaiti teve que amputar a mão de um soldado para salvá-lo. O combatente era o pintor Cándido López (1840 – 1902) e a mão ferida era sua mão hábil, a direita. Durante os anos seguintes, Cándido treinou sua mão esquerda e conseguiu pintar 52 dos 90 esboços que fez durante o conflito.

Um desses quadros esteve durante anos debaixo da cama de María, autora de histórias em quadrinhos que também seguiu pelo caminho das artes plásticas. A novela gráfica A Mão do Pintor começa no dia em que Cándido reaparece como um fantasma para pedir que María termine de pintar seus esboços. Esse é o ponto de partida de uma insólita amizade, de aprendizados mútuos. Cándido ensina técnicas de pintura a óleo, enquanto Maria mostra algumas dores e delícias da vida contemporânea.

A Mão do Pintor é o livro nº 39 da Lote 42.

Especificações Técnicas

A Mão do Pintor autora María Luque tradução Mariana Sanchez ISBN 978-85-66740-43-1 idioma português dimensão 17 x 23 cm edição 1ª, 2019 número de páginas 192 edição geral João Varella e Cecilia Arbolave 

A Mão do Pintor autora María Luque tradução Mariana Sanchez ISBN 978-85-66740-43-1 idioma português dimensão 17 x 23 cm edição 1ª, 2019 número de páginas 192 edição geral João Varella e Cecilia Arbolave 

 

“O leitor terá a oportunidade de pintar cenas maravilhosas do cotidiano, como situações com ônibus lotado, prestações atrasadas, relações familiares, entre outras. O que não pode é seguir o traço fino da arte, há de estabelecer uma perfeita harmonia com o que é proposto (fica a dica!).”

LiteraturaBR

“Alexandra Moraes satiriza moda de obras terapêuticas com sua tira O Pintinho, com traço feito no Paint. Nada de mandalas, flores, passarinhos, florestas encantadas. No livro, as atividades dizem respeito às desventuras da classe média brasileira.”

O Grito!